Por: Secom
15/08/2019 - 21:23:21

Após pausa em virtude dos dias dos pais, a Copa Interbairros 2019 está de volta neste domingo (18/08) com três partidas fechando os jogos de ida da competição que está atraindo a cada domingo um número maior de torcedores.

No campo do Juca Rosa, o time do Rosa Neto recebe a visita do time da Roça do Povo, numa partida que promete fortes emoções e casa cheia como é tradicional nos jogos do Rosa Neto como mandante. No bairro Itapuã, o time da casa joga diante do seu torcedor contra o time do bairro Nova Eunápolis. A expectativa é grande, já que ambas farão o primeiro jogo na competição e a torcida deve comparecer em peso.

A zona rural também será palco da Copa Interbairros 2019 neste domingo. No Ponto Maneca, o time local recebe para o confronto de ida a equipe do bairro Minas Gerais, onde o evento ultrapassa as quatro linhas e faz a festa da comunidade. A competição, que oferece estrutura completa às equipes é 100% custeada pela Prefeitura de Eunápolis com a organização da Superintendência de Esportes. "Quado idealizamos o Interbairros sabíamos que seria um sucesso, pois movimentamos os bairros e oferecemos uma opção de lazer a nossa população. Esperamos todos nesse fim de semana", convidou o prefeito Robério Oliveira.

Confira a programação de jogos para domingo, com a respectiva escala da arbitragem:

JOGO 1

09h – JUCA ROSA

Rosa Neto x Roça do Povo

 

JOGO 2

09h – PONTO MANECA

Ponto Maneca x Minas Gerais

 

JOGO 3

09h – ITAPUÃ

Itapuã x Nova Eunápolis

 

 



Por: Globo Esporte
13/08/2019 - 14:18:42

Mesmo com menos atletas que nas últimas três edições, delegação conquista o maior número de medalhas na história, quebra o recorde de ouros, e termina atrás apenas dos Estados Unidos 11/08/2019 

Barba, cabelo e bigode. A delegação brasileira conquistou, nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, encerrados neste domingo, os três maiores objetivos que poderiam ser atingidos: quebrou o recorde de medalhas de ouro, levando 55, três a mais que no Pan de 2007, no Rio de Janeiro, foi ao pódio como jamais havia feito, 171, 14 vezes a mais do que a marca anterior, e encerrou o evento em segundo no quadro geral, atrás apenas dos Estados Unidos, repetindo o ocorrido em 1963, no Pan de São Paulo. Portanto, o Brasil fechou com 55 ouros, 45 pratas e 71 bronzes.

O Comitê Olímpico do Brasil (COB) não tinha colocado uma meta em número de medalhas ou de pódios, nem posição no quadro. Para a entidade que comanda o esporte no país, o importante era a conquista de vagas olímpicas e a melhora do desempenho da maioria dos esporte com relação a Toronto 2015. O país garantiu, pelo Pan, um lugar na Olimpíada no handebol, hipismo, tiro com arco, tênis de mesa, tênis, pentatlo e vela, mas acabou sucumbindo no handebol masculino e no tiro esportivo.

Outro recorde interessante atingido pelo Brasil foi o de número de modalidades que foi ao pódio. O Brasil conquistou medalha em 41, mais que os 40 do Rio 2007. Nos títulos, foram 22 modalidades com ouros, repetindo as 22 de 2007. Com menos de 500 atletas, delegação foi a menor desde 2003, o Brasil se destacou muito mais em esportes individuais do que nos coletivos.

O carro chefe do Brasil foi, pela quarta vez seguida, a natação. Da piscina de Lima vieram 10 medalhas de ouro, e um total de 30 medalhas. A vela, sempre tão tradicional no país, conquistou cinco títulos em onze possíveis, em um aproveitamento espetacular. Atletismo e ginástica(artística e rítmica), com seis e cinco douradas respectivamente, superaram o resultado ruim de Toronto 2015 e voltaram a colocar o país como potência no continente.

O que não faltou para o Brasil foram feitos inéditos. Primeiro título no badminton e nas águas abertas, primeiro ouro feminino no boxe, patinação, taekwondoe triatlo, primeira dobradinha do individual geral da ginástica, primeiro pódio nos saltos ornamentais sincronizado...Até a pelota basca conseguiu o bronze que nunca tinha conquistado.
 
Mas também teve a manutenção de hegemonias históricas. O handebol feminino conquistou o hexa-campeonato e a ginástica rítmica, apesar de alguns erros, conseguiu trazer um ouro também pela sexta vez seguida. O revezamento 4x100m da natação manteve a tradição de não perder a prova: a última derrota foi em 1995, no Pan de Mar del Plata.

Nos Pans de 2007, no Rio de Janeiro, e de 2011, em Guadalajara, no México, a briga pela segunda posição foi com Cuba, com os caribenhos levando a melhor com uma grande quantidade de ouros nos últimos dias. Em Toronto 2015, não teve muito jeito: o Canadá ficou em segundo lugar com grande tranquilidade. Para Lima 2019, o Brasil demorou alguns dias para deixar o México para trás e, nos últimos dias, segurou o ímpeto do Canadá, para se consolidar no segundo posto do quadro.

Os Estados Unidos mantiveram a hegemonia. Pela 16ª vez em 18 Pans ficaram na frente do quadro de medalhas. Foram, ao todo, 117 ouros, 87 pratas e 83 bronzes, totalizando 287 pódios e a primeira posição no ranking.

O próximo passo agora é a Olimpíada de Tóquio 2020, que tem início no dia 24 de julho. O Comitê Olímpico do Brasil (COB) opta por não falar em metas de medalha ou posição no quadro de medalhas, mas é claro que há um objetivo plausível para os Jogos: superar os 19 pódios conquistados na Rio 2016. E, com a inclusão de surfe e skate no programa de provas, a chance é clara.

Em um Pan tranquilo e sem polêmicas, esporte brasileiro melhora a imagem extra-quadra, bate recorde de medalhas, mas não pode entrar no oba-oba para Tóquio 2020



Por: José Orlando Gomes
13/08/2019 - 02:04:26

Chegou ao fim, neste domingo (11), a 1ª rodada do Intermunicipal 2019. O total de 29 jogos foi realizado nos quatro cantos do estado.

Oito seleções largaram com destaque na competição. Santaluz, Conceição do Coité, Valente, Santo Amaro, Valença, Camacan e Paul Brasil venceram seus jogos fora de casa.

A expectativa, agora, é de que as demais busquem o triunfo. Fora das quatro linhas, a torcida quer embalar as equipes.

A segunda rodada já reunirá 60 seleções em campo. Os 30 jogos serão realizados no próximo domingo (18).

Resultados do complemento da primeira rodada (11/08):

Quijingue 3 x 0 Canudos

Arací 0 x 1 Santaluz

Senhor do Bonfim 1 x 1 Campo Formoso

João Dourado 0 x 0 Morro do Chapéu

Retirolândia 0 x 2 Conceição do Coité

São Domingos 0 x 2 Valente

Baixa Grande 0 x 0 Ipirá

Ruy Barbosa 1 x 1 Serra Preta

Camaçari 0 x 0 Araçás

Pojuca 3 x 1 Terra Nova

Madre de Deus 0 x 1 Santo Amaro

Saubara 3 x 1 Lauro de Freitas

Conceição do Jacuípe 1 x 1 Feira de Santana

Santa Bárbara 1 x 0 Riachão do Jacuípe

São Félix 0 x 2 Cachoeira

Conceição da Feira 1 x 0 Governador Mangabeira

Maragojipe 2 x 2 Nazaré

Ubaíra 1 x 3 Valença

Maracás 1 x 0 Ibirapitanga

Ibirataia 2 x 0 Jaguaquara

Vitória da Conquista 3 x 0 Barreiras

Itambé 1 x 1 Itapetinga

Itajuípe 2 x 1 Ibicaraí

Aurelino Leal 2 x 1 Uruçuca

Itajú do Colônia 1 x 2 Camacan

Santa Luzia 1 x 2 Pau Brasil

Itarantim 2 x 1 Ilhéus

Belmonte 1 x 0 São José da Vitória

Prado 0 x 0 Eunápolis



PUBLICIDADE


Por: Tássio Loureiro / AtlanticaNews
12/08/2019 - 12:49:31

Eunápolis - Na manhã deste domingo (11), aconteceu a final da 3ª edição do Campeonato de Futebol de Veteranos do bairro Juca Rosa onde ficou consagrado campeão o time Amigos do Itapoã que venceu de 3 a 0 o time de Pindorama. 

O campeonato contou com 12 equipes de Eunápolis e de toda região envolvendo cerca de 300 jogadores com idade superior a 35 anos. 

A final foi eletrizante onde vários amantes do esporte estiveram prestigiando o sucesso da 3ª edição do campeonato organizado por Adilson Aprígio, mais conhecido como “Xuxu”.
 



Por: UOL
09/08/2019 - 02:44:06

O Time Brasil estava à espera, e a natação realmente não decepcionou. No primeiro dia de provas da modalidade no Pan de Lima-2019, os nadadores conquistaram três ouros e seis pódios no total para levar a delegação nacional de volta à segunda colocação no quadro de medalhas. A vantagem para o Canadá agora é precisamente de três medalhas douradas. Eles fizeram a diferença.

A conquista mais aguardada foi a do revezamento 4x100m livre masculino, na qual o país chegou ao hexacampeonato. É o maior período de hegemonia do esporte brasileiro nos Jogos, igualando façanha da seleção de handebol feminino. O quarteto ainda quebrou o recorde do evento, para ter mais história para contar.

Além disso, Leonardo de Deus, que só chegou a Lima de última hora graças a um corte por doping e depois de embate de bastidores, se sagrou tricampeão nos 200m borboleta. João Gomes Júnior, por sua vez, comemorou seu primeiro ouro aos 33 anos. E suspirou: para ele, o Pan era como se fosse um assombro. Agora virou uma memória inesquecível.

Fora da piscina, os brasileiros ainda celebram uma jornada produtiva no atletismo e também o primeiro ouro via tênis de mesa. Relembremos.

Foi sofrido, mas foi

Depois de uma prata e um bronze no primeiro dia de disputa de medalhas, o tênis de mesa nacional ganhou seu primeiro ouro nesta terça. Foi com sofrimento, mas a dupla Hugo Calderano/Gustavo Tsuboi se sagrou campeã em final contra argentinos. Os brasileiros chegaram se ver bastante pressionados após ficarem em desvantagem de 2 sets a 1. Mas, mais experientes, deram um jeito de voltar para a partida e vencer em seis sets.

Estão na pista

Na abertura das provas de estádio do atletismo, o lançamento de disco já reservou tensas emoções aos brasileiros. Em grande fase, a paraibana Andressa de Morais parecia ter a conquista do ouro bem encaminhada, com 65,98m alcançados, não só sua melhor marca, como também recorde sul-americano. Faltava apenas uma rodada de competição.

Mas a cubana Yaime Pérez, uma das favoritas tinha outros planos. Na sua última tentativa, acabou deslanchando, atingindo 66,58m para ser campeã. O bronze ficou com a também brasileira Fernanda Borges.

Mais cedo, o paulista Altobeli Santos já havia ganhado uma medalha de prata na disputa dos 5.000m. Só em uma projeção bastante otimista seriam possíveis esse total de três pódios logo de cara.

Além disso, o Time Brasil se posicionou estrategicamente na prova mais visada: os 100m rasos. Não, nossos velocistas ainda não superaram o tabu, ou melhor, a marca dos dez segundos. Mas não quer dizer que Paulo André e Rodrigo Nascimento não tenham feito bonito.

Eles venceram suas semifinais e ainda vão à disputa por medalhas com os dois melhores tempos - Rodrigo com 10s27, contra 10s29 de Paulo André. No feminino, Vitória Rosa também foi à final, com 11s40, o terceiro melhor tempo das semis, atrás da jamaicana Elaine Thompson, que correu ao seu lado (11s36) e da trinitina Michelle-Lee Ahye (11s37). Franciela Krasucki foi eliminada.

A emoção da estreia

O técnico José Neto já dirigiu vários times de basquete em jogos decisivos. Com o Flamengo na conquista de uma Copa Intercontinental. Ou várias seleções de base. Mas, orienta uma seleção brasileira adulta como seu principal comandante, para valer, nunca tinha acontecido. Foi uma longa espera, mas o treinador enfim estreou na função e viu sua equipe bater o Canadá por 79 a 71.

Ao final, Neto mal podia conter sua emoção nas entrevistas. Em quadra, tentando acompanhar os gritos por intensidade do treinador, a pivô Clarissa somou 15 pontos e 11 rebotes, enquanto a ala Patty anotou 14 pontos.

De olho na pelota basca

Sim, você leu direito: fiquemos de olho na disputa da pelota basca, dessas modalidades bem particulares do Pan, sem espaço no programa olímpico. É que há um representante brasileiro na semifinal da disputa de frontón manual, em que o atleta precisa rebater a bola com as mãos sem o uso de nenhum instrumento, diferentemente da raquete e do jogo com cestas.
Estamos falando de Filipe Otheguy, 28, que nasceu na França, não fala português e nunca veio ao país, mas pode dar sua contribuição ao quadro de medalhas do Time Brasil.
 



Por: José OrlandoAtlanticanews
07/08/2019 - 02:57:10

Está chegando a hora da grande final do campeonato de Veterano do Juca Rosa envolvendo as equipes Pindorama X Amigos do Itapoã, é neste domingo (11/08) às  9:00 h. Contamos com sua presença, amigo desportista.



PUBLICIDADE


Por: José OrlandoAtlanticanews
07/08/2019 - 02:53:39

A estreia neste domingo, 11, às 15h a Seleção Eunapolitana faz seu primeiro jogo, no Campeonato Intermunicipal de Futebol Amador. A partida será no Estádio Municipal Araujão, contra a seleção de Prado. Torcedor Eunapolitano   contamos com sua presença.



Por: Ascom
07/08/2019 - 01:01:30

O I Torneio de Futsal da Juventude de Porto Seguro teve a fase femina agitando a comunidade do Campinho, com jogos nos dias 3 e 4 de agosto. A iniciativa da Prefeitura, por meio das secretarias de Assistência Social e a de Esporte e Lazer e a Superintendência de Projetos para a Infância e Juventude se mobilizaram para incentivar o esporte, entretenimento e qualidade de vida ao público juvenil da cidade.

A atividade reuniu jovens atletas, desportistas e amigos na Quadra do Campinho para torcer para a equipes competidoras. Entre elas, estava cinco times: Ricaldi A e Ricaldi B; Associação Feminina de Futsal de Porto Seguro – AFFPS; Tarifa - TRF e Mirante.

Mais de 400 jovens foram envolvidos durante os dois dias de torneio, que teve como campeã a equipe da  Associação Feminina de Futsal de Porto Seguro – AFFPS; Mirante em segundo lugar; Ricald B em terceiro lugar e a quarta colocação ficou com a Tarifa.

Protagonismo Juvenil

O Superintendente de Projetos Para a Infância e Juventude, Washington Borges, destacou junto aos jovens que a iniciativa visa, sobretudo, “a valorização e protagonismo juvenil ao proporcionar inclusão social e interaçao entre os jovens das mais diferentes localidades do município”, afirmou. “Nossa proposta é realizar outras ações deste cunho, prestigiando também modelidades como o Vôlei, Basquete, Handebol", destaca a secretaria de Assistência Social, Lívia Bittencourt, ao parabenizar os participantes.

Para a prefeita Cláudia Oliveira esta ação foi especialmente planejada para abrir as atividades do “mês da juventude”. “No proximo final de semana será a etapa masculina e entre os meses de dezembro de 2019 a fevereiro de 2020 realizaremos a primeira edição dos Jogos de Verão da Juventude", anunciou a prefeita.



Por: Ascom
04/08/2019 - 23:16:24

A Prefeitura de Porto Seguro mais uma vez é parceira na realização da Corrida Rústica de Arraial d'Ajuda, que neste ano chega em sua 30ª edição, proporcionando sempre grandes momentos de interação entre competidores, intercâmbio com atletas de todo o país e incentivo à cultura esportiva no município.

Na manhã desta quinta-feira, 1/8, aconteceu o lançamento oficial, no Café da Santa, com a presença dos organizadores do evento ligados à Vida Sport, Antônio Vidal, representantes das secretarias municipais de Esporte e Lazer; Saúde; Trânsito e Serviços Públicos e a de Relações Institucionais, além da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e voluntários.

Durante o encontro trataram da programação da corrida de rua marcada para o domingo, 8; trajeto de 10km e de 5km e a modalidade para cadeirantes e vistoria em todo o percurso; segurança; equipamentos de saúde; apoio aos atletas e sinalizações. Uma das novidades será a estrutura de chegada, que visa maior circulação das pessoas e melhor disposição de barracas de apoio e saídas de emergência. Além disso, dez motociclistas estarão trabalhando junto à equipe do Staff. 

Programação

A previsão é que mais de mil atletas brasileiros e de outras nacionalidades participam da corrida, tradicional em Porto Seguro e considerada uma das mais charmosas do Brasil.  "Há cada ano temos aprimorado a competição, tornando-a mais competitiva e com uma programação mais rica, contemplando palestras, dinâmicas infantis, modernização dos equipamentos e atividades de entretenimento para competidores e comunidade", frisa o organizador, Antônio Vidal.

Estão programadas as presenças do secretário executivo do Programa Faz Atleta da Bahia, Rodrigo Farias e o secretário da Secretaria de Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia (Setre), Davison Magalhães, que deve ministrar palestra para os atletas da cidade sobre como se candidatar à bolsa e seus trâmites legais, no dia 7, no final da tarde.

Ainda no sábado, uma atividade de recreação junto ao público infantojuvenil está marcada para às 14h, monitorada por educadores físicos do município. Além disso, a noite, será dada as boas vindas a centenas de atletas que devem chegar à cidade.

Todo o evento tem a chancela da Federação Baiana e conta com equipe de profissionais de arbitragem e equipamentos de ponta para computar o tempo dos competidores. Toda a comunidade é convidada para prestigiar a Corrida Rústica e se divertir. Venha e traga a sua família!



PUBLICIDADE


Por: ZDL
29/07/2019 - 11:40:40

Costa Rica (MS) - O município de Costa Rica, na região Norte do Mato Grosso do Sul, escreveu mais um bonito capítulo de sua breve história de 39 anos. Neste fim de semana, a cidade sediou a oitava edição do Campeonato Mundial Mountain Bike 24 Horas Solo, o primeiro realizado na América Latina. Após cerca de 24 horas de muita emoção e adrenalina, o canadense Cory Wallace e a italiana Gaia Ravaioli sagraram-se campeões do mundo na categoria elite. Enquanto Cory concluiu 16 voltas em 23h14min55, e levou o terceiro título consecutivo, Gaia foi a vencedora entre as mulheres, completando 14 voltas em 24h17min50, repetindo o feito de 2017.

Cory Wallace percorreu pouco mais de 460 km, em 16 voltas, para vencer, à frente de Mario Veríssimo (BRA) e de Ernesto Mora (PAR), segundo e terceiro colocados, respectivamente. O canadense já havia vencido em Finale Ligure (ITA), em 2017, e em Fort William (GBR), em 2018. Após um começo em que Mario esteve em primeiro e depois Taylor Lideen (EUA) liderar no início da noite de sábado (27) - porém terminou em décimo lugar após sentir dores na perna direita -, Cory manteve-se concentrado para ocupar a primeira colocação na oitava volta e, assim, administrar a vantagem nas 12 horas finais.

"Toda competição é única. O primeiro título foi especial, porque ocupei o trono que era do Jason English, até então multicampeão do mundo nas 24 horas. A segunda conquista foi importante por uma questão de afirmação e a terceira, aqui em Costa Rica, é a cereja do bolo", disse Cory. "Ser campeão três vezes é algo surreal. Parece que foi ontem que conquistei o título pela primeira vez. Fico feliz de estar aqui no Brasil e, assim como os outros estrangeiros, poder ajudar a elevar o nível do mountain bike brasileiro", finalizou Cory.

"O Mundial deste ano tinha um percurso que exigia paciência. Na maior parte do tempo, pedalávamos muito rápido. No fim, é sempre uma corrida mental em que você vive cada parte de uma maneira. O começo do circuito era mais travado, com muitas árvores e single tracks (trilhas estreitas), depois mudava o perfil com vento e estradas de terra", comentou o tricampeão.



Vencedor do Pré-Mundial em 2018, quando completou 12 voltas no circuito sul-mato-grossense, Mario Veríssimo pedalou as mesmas 16 voltas voltas do tricampeão mundial neste ano, porém, em pouco mais de 1h20 de que Cory. O paraguaio Ernesto Mora fechou o top 3, com 14 voltas completadas.

"Inexplicável a sensação que tenho ao conquistar esse vice-campeonato mundial. Lógico que eu queria ser o campeão, mas sei que uma prova de 24 horas é diferente em relação à minha especialidade, a maratona (XCM). Estou muito feliz, porque não parei para dormir e me sinto satisfeito por ter representado meu País tão bem em um Campeonato Mundial. Agradeço a todos que me apoiaram e torceram por mim", relatou Veríssimo.

Elite feminina - Entre as mulheres, Gaia Ravaioli foi a líder do começo ao fim e em momento nenhum diminuiu o ritmo, pedalando por pouco mais de 400 km. Cotada entre as favoritas, a ucraniana Elena Novikova acabou se acidentando no fim da tarde de sábado e encerrou a competição em décimo lugar, com suspeita de fratura no ombro direito. O top 3 teve as brasileiras Lucinei Marega e Hildebranda Leal, com 12 e 11 voltas completadas, respectivamente.

"Estou realmente feliz por essa conquista, principalmente porque em 2018 perdi a camisa de campeã mundial na Escócia. Prometi para mim mesma que reconquistaria esse título. Treinei muito forte e foquei bastante nesta corrida. É um sonho realizado", vibrou Gaia. "Tudo isso só foi possível porque tive meu marido Alessandro ao meu lado. Ele me acompanhou aqui na prova e fez o meu suporte. Esta vitória é nossa", completou.
Assim como os demais ciclistas, Gaia também não poupou elogios à organização. "O percurso era muito rápido. A organização foi perfeita em termos de logística e segurança da pista. As pessoas no Brasil são incríveis, bastante humanas e calorosas. Agradeço demais por ter sido tão bem recebida.", concluiu a italiana.

Superação consagrada - Entre as 21 disputas que tiveram definidos os campeões mundiais de 2019 na tarde deste domingo (28), uma delas foi mais do que especial. A edição deste ano marcou a estreia da PCD - pessoas com deficiência - na competição internacional. O campeão foi o sul-mato-grossense Bruno Paim, que conseguiu assumir a liderança apenas na segunda metade das 24 horas, quando o então líder, Eduardo Sanches, não conseguiu continuar na disputa. Em 23h52min37, Paim completou 12 voltas e ficou à frente de Victor Luise - 23h29min02 e 11 voltas.

Organizador campeão do mundo - Ciclista e organizador bastante conhecido pelo público do mountain bike, Mario Roma também faturou a camisa de campeão mundial na categoria 55 a 59 anos. Em uma disputa muito acirrada com Plínio de Souza, o fundador da Brasil Ride pedalou por 25h34min19 (14 voltas), ao passo que Plínio fechou a competição em 22h12min13 (12 voltas).

"Minha estratégia definida não tinha muito segredo. Era só fazer força. Somente isso. O Plínio foi um adversário maravilhoso. Já havíamos competido anteriormente e o fair play entre nós é enorme. Se tem uma pessoa boa de briga, essa é o Plínio. Estou contente por nós dois. Neste dia foi a minha vez, mas na próxima pode ser ele", comentou Roma. "Muito bom poder deixar esse legado, não só por termos realizado o Campeonato Mundial, mas também pelo intercâmbio e troca de experiências entre os atletas. Temos o primeiro campeão mundial na PCD (Pessoas com Deficiência), o Bruno Paim, e isso ficará para sempre na história. São essas coisas que nos marcam", completou.

Durante a cerimônia de premiação, Mario Roma fez questão de agradecer ao presidente da WEMBO (Organização Mundial de Mountain Bike Endurance), Russel Baker, e ao prefeito de Costa Rica, Waldeli dos Santos Rosa, por terem acreditado em seu projeto e entregou a eles o troféu de Incentivadores do Esporte. "Gostaria de registrar meu agradecimento ao Russel e ao Waldeli, por serem duas pessoas que acreditam no esporte e também em nosso trabalho. Sem eles, não teríamos o Mundial no Brasil", concluiu o campeão mundial na categoria 55 a 59 anos.

Demais categorias do Mundial - Nas demais categorias em disputa no Campeonato Mundial MTB 24h Solo, os campeões foram: Andrew Howett (single speed); Luisa Silveira e Felipe Nonato (sub-23); Katia Cristina e Anycleison Cavalcante (23 a 29 anos); Valeria Crema e Bruno Nunes (30 a 34 anos); Julia Ribeiro e Carlos Henrique Paixão (35 a 39 anos); Julyana Machado e Leandro Rambo (40 a 44 anos); Ana Paula Pereira e Juliano Gehrke (45 a 49 anos); Claudia Fiess e Valter Paes (50 a 54 anos); Brigitte Giurizzatti e Mario Roma (55 a 59 anos); e Dennis Smaggus (over-60).

Top 5 elite:

Masculina

1-Cory Wallace (CAN) - 23h14min55 (16 voltas)
2-Mario Veríssimo (BRA) - 24h34min41 (16 voltas)
3-Ernesto Mora (PAR) - 23h38min28 (14 voltas)
4-Fagnu José (BRA) - 23h27min43 (13 voltas)
5-Valdeir Souza (BRA) - 24h31min16 (13 voltas)

Feminina
1-Gaia Ravaioli (ITA) - 24h17min50 (14 voltas)
2-Lucinei Marega (BRA) - 24h16min11 (12 voltas)
3-Hildebranda Moreira (BRA) - 23h14min35 (11 voltas)
4-Sheila Mendonça (BRA) - 24h49min53 (11 voltas)
5-Fabricia Terra (BRA)- 23h12min47 (9 voltas)