Por: Redação, com G1 BA
28/09/2021 - 10:37:24

Um dos suspeitos de matar o médico Júlio César de Queiroz Teixeira, 44 anos, na cidade de Barra, no oeste da Bahia, enquanto ele fazia atendimento dentro da clínica onde trabalhava, foi preso na tarde desta segunda-feira (27). Segundo a polícia, o pediatra foi atingido por quatro tiros na manhã de quinta-feira (23), um deles na cabeça. Ele chegou a ser socorrido por outros funcionários da clínica e foi levado para um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos.

Dois homens são suspeitos de participação no crime. Um é o atirador, que invadiu o local para cometer o crime, e o outro é o motociclista que levou o atirador ao local em uma moto e prestou fuga no mesmo veículo. O cúmplice também já foi localizado, de acordo com o delegado de polícia Jenivaldo Rodrigues.

Também segundo a polícia, a motocicleta e o capacete utilizados no crime foram apreendidos com o suspeito. No dia do crime, o homem entrou na clínica ainda de capacete.

Inicialmente, o delegado disse que o cúmplice tinha sido preso. No entanto, ele revelou que o homem foi localizado no Tocantins.

Denúncias sobre abuso sexual

No sábado (25), a polícia afirmou que apura se o pediatra foi assassinado após alertar uma família sobre uma criança atendida por ele, que apresentou sinais de abuso sexual.

O caso teria ocorrido no ano de 2016, em Buritirama, cidade que fica na mesma região. O delegado disse que foi informado sobre a situação pela família do pediatra. A polícia vai investigar se a morte foi causada por vingança.

Segundo o irmão do pediatra, Lula Teixeira, a esposa do médico assassinado trabalhava como enfermeira e atuava com o marido nos atendimentos. Ela presenciou o crime, que ocorreu no momento em que Júlio César fazia o segundo atendimento do dia.

Além da mulher, dois funcionários e uma criança, que estava acompanhada por responsável, presenciaram o assassinato. A polícia não informou se as testemunhas já prestaram depoimento.

O médico tinha dois filhos, de 5 e 8 anos de idade.


Enquete

Sérgio Moro chega à cena eleitoral. Você votaria nele?




VOTAR PARCIAL