Por: José Orlando Gomes atlanticanews
17/09/2019 - 18:42:15

Eunápolis  - Vamos a mais uma  recordação do futebol Eunapolitano, vamos relembrar do time dos Gatões, que disputou e sagrou-se campeão em 1989, desse grandioso e saudoso campeonato amador, disputado no campo da Urbis II,  evento esportivo que fazia parte do calendário futebolístico  Eunapolitano,  disputado nas manhãs de domingo, no bairro da Urbis, onde os desportista da cidade compareciam em massa para prestigiar esse tradicionalíssimo  campeonato.
 

Time dos Gatões.
Em pé: Brito; Derrandre; Magalon; Jessé; Zezé, Melodia, Eribaldo e Senna.
Agachados: Fernando da Gata; Taran; Junior Honorato; Jairo e Sequinho (in memorian).

 



Por: José Orlando/atlanticanews
31/07/2019 - 02:41:19

Na década de 80 a cidade de Eunápolis no extremo sul da Bahia, tinha bons jogadores, no futebol  amador da cidade.  
Aqui a seleção Eunapolitana de 1986 treinada por Mario Alfaiate. Na foto temos: Ribinha, João, Junior, Duqueo, Valdir e Roberto.
Artur Nunes, Erasmo Bigode,  Paulo Bidu, Val (Foi artilheiro do intermunicipal)  e Edinei (Um craque, que hoje podia jogar em qualquer time do futebol Brasileiro).



Por: José Orlando atlanticanews
23/05/2019 - 21:22:31

Eunápolis - No fortíssimo campeonato Eunapolitano, lá pelos idos de 1987, tinha um time formado pelos moradores da Urbis I, que se chamava “URBIS”, e contava com amantes do futebol amador, que vestia a camisa do time por amor ao esporte. No ano de 1987 o time a URBIS formou um elenco de jogadores experimentados, com passagens em outros campeonatos regionais, para a disputa do campeonato da cidade, que era disputado no palco do Itamarzão (in memorian). O time da URBIS que foi criado em 87 contava no seu elenco com grandes nomes regionais, como: Nelsinho (Um cabeça de área que jogava com a cabeça erguida, vi poucos jogadores desse nível), Zé Carlos Quebrado (um meia que jogava em qualquer time profissional do Brasil), Lú (Centroavante destemido) esse trio era da vizinha Itamaraju; de Eunápolis tinha: Afranio da motral, Brito, Miguel Gráfica, Cajú (In memorian), Laelton Maia, Zelito (Banguelo), Sequinho (In memorian), Janio  (Goleiro), Zé Américo, Nonato, Lela (Bufa pinga), o técnico era Madieri e o presidente desse time era Vavá da Farmácia segundo o radialista Mauricio César que já estava no meio radiofônico, Radio Jornal.

 

 



PUBLICIDADE


Por: José Orlando atlanticanews
29/04/2019 - 20:07:43

Itabuna - Fluminense de Adonias, posa para a foto no campo da Desportiva.

Time que fez sucesso na década de 70.

Em pé da esquerda para a direita: Biro-Biro; Moacir; João; Reginho; Nenem; Tonho; Tonho; Boió e Néo. Agachado da esquerda para a direita: Sandro; Josemar; Jorge Grego; Van; Nelson e Ivanildo. 



Por: José Orlando atlanticanews
22/03/2019 - 11:53:18

A final do Campeonato municipal de Porto Seguro, em 1981, entre as equipes do Guaray e Vera Cruz (Distrito), deixou muitas saudades, pois foi marcada por uma partida disputadíssima por ambas as equipes, com respeito, humildade, raça e determinação. Nesse jogo o convidado de honra, pelo presidente da liga à época Romalí Moura, foi o grande goleiro do Atlético Mineiro e seleção brasileira João Leite, que deu o pontapé inicial da partida. 


O jogo começou com o time do Guaray, querendo decidir a partida logo no inicio, nesse jogo o time da casa (Guaray) que era a base da seleção de Porto Seguro, reforçou ainda mais sua equipe trazendo 03 atacantes da seleção de Ilhéus, eles investiram pesado para ficar com o título, nos relata Lourinho Soares (Vera Cruz). Mas, só que eles não contavam que, no time de Vera Cruz tinha jogadores experientes como o zagueiro Nal, Coelho, Cícero, Marivaldo todos de Eunápolis. A equipe de Vera Cruz conseguiu segurar o ótimo time do Guaray, e equilibrou a partida.

O grande nome desse jogo foi Marivaldo Soares que marcou os dois da partida, na prorrogação, depois do empate em 0 a 0 no tempo normal.

Lembrando que o goleiro do time de Vera Cruz, era nada mais, nada menos, que Itamar que naquela época estava em sua melhor fase como goleiro. Só que nesse dia da grande final, Itamar viajou pra fazer teste profissional, na equipe do “Itabuna”, deixando sua equipe a ver navios, o jeito foi improvisar, dai que surge Mauricio César, que atuava como lateral na equipe, reserva de Lourinho, em conversa no vestiário, seu nome foi o escolhido pra ir para o gol, já que tinha experiência como goleiro de futsal. E não deu outra, segundo o próprio Mauricio César nos relata, pelo bom time do Guaray, tinha um meia chamado “Lalado” que era considerado o melhor jogador em sua posição da época, que nesse dia jogou tudo que sabia, e só faltou fazer chover, mas são Mauricio fez a diferença, pegando tudo e determinando seu time como campeão. Placar final Guaray 1 Vera Cruz 2.

Colaborou com essa matéria o radialista e goleiro da época Mauricio César.

Time de Vera Cruz: Em pé da esquerda para a direita: Cícero, Marivaldo, Mauricio César, Lorico, Nego Pagode (não temos o nome) e o técnico Júlio (In Memoriam). Agachados: da esquerda para a direita: o primeiro não temos o nome, Lulu, Bigode, Coelho e Nal(In memoriam). Obs: Faltou Lourinho Soares na foto, que atuou nessa partida.

  



Por: José Orlando Gomes
12/02/2019 - 16:28:29

Conversando sobre o futebol amador Eunapolitano, com os amigos Valdir (Dika Móveis), Mauricio Nunes, Genivaldo Lacerda (Pimpão) um dos maiores goleiros do extremo sul. Coisa que eu gosto fazer, que é falar de esporte, recebi do amigo Mauricio Nunes, que já foi Goleiro de futsal e campo, uma foto relíquia pra coluna Arquivo dos campeões. Nela temos, os seguintes jogadores: 
 

Em pé: 

Valmir Orlete

Orlando da Ceplac

Mitsuo Kitamura - Banco do Brasil

Mauricio Nunes

Carlão do Banco do Brasil


Agachados:

Dr. Ramos (in memorian) 

Melo Banco do Brasil

Carlos Reis (Pesque e Pague)

Dr. Tércio (In Memorian) 


PS: Foto tirada no Country Club

 



PUBLICIDADE


Por: Terceiro Tempo
09/01/2019 - 12:04:47

Dendê, o José Alberto Vasconcellos da Silva, meia-atacante do Flamengo, Bahia e Vitória nos anos 70 e 80, hoje mora com a família em Alagoinhas (BA), onde tem escolinha de futebol.

Nascido na mesma Alagoinhas (BA), em 26 de maio de 1953, Dendê começou a carreira no Atlético de Alagoinhas. Em 1975, ele foi contratado para defender o Flamengo. Ficou no clube mais popular do país até o ano de 1977.

Na Gávea, ele foi companheiro de Zico, Geraldo, Vanderlei Luxemburgo, Luizinho Lemos, Caio Cambalhota, entre outros (veja foto). Depois de ter feito 50 jogos (34 vitórias, 12 empates e 4 derrotas) com a camisa rubro-negra, Dendê passou por Bahia, Vitória, Catuense e outros times do nosso nordeste.



Por: José Orlando Gomes
11/12/2018 - 21:48:51

Jogador do Flamengo e da Seleção Brasileira, craque faleceu aos 22 anos de idade antes que o mundo pudesse conhecer a sua genialidade.                                                   

Geraldo Cleofas Dias Alves nasceu na cidade mineira de Barão de Cocais, a 16 de abril de 1954. O estilo de Geraldo parecia definitivamente condenado no chamado futebol moderno – o cuidadoso trato com a bola, em lugar do passe de primeira, a elegância em vez da velocidade, a paciência para encontrar o caminho em prejuízo da agressividade.

O Brasil sempre foi um berço de craques, a todo tempo nasce um menino com talento indiscutível para o futebol em solo brasileiro. Alguns chegam a se profissionalizar, outros trilham caminhos diferentes do mundo da bola.

Mas nenhum dos dois casos foi o caso de Geraldo, apontado por muitos como a maior revelação do Flamengo nos anos 70. É isso mesmo, nos anos 70 quando Zico e a geração que viria a conquistar tudo na década de 80 apareceram no cenário do futebol.

Há exatos quarenta e dois anos, no dia 26 de Agosto de 1976 o Brasil perdia uma de suas maiores jóias. Aos 22 anos, quando se internou para fazer uma cirurgia de retirada de amígdalas, algo comum na época, Geraldo sofreu um choque anafilático e veio a falecer deixando o futebol brasileiro estarrecido.

Detalhe para a insistência do menino em não realizar a cirurgia, Geraldo demorou mais de um ano para poder aceitar a realização  do procedimento cirúrgico. Ele chegou a fugir do hospital em duas oportunidades.

Geraldo chegou ao Flamengo no início da década de 70 através de seu irmão, o zagueiro Washington, para se juntar a "geração de ouro" rubro-negra ainda nas categorias de base.

Habilidoso e dono de uma drible desconcertante, Geraldo não demorou para encantar a todos no clube. Era conhecido pelo seu excepcional controle de bola, visão de jogo e o futebol alegre, o meia jogava cantarolando e por isso o apelido de "assoviador".

Dono da camisa 8, Geraldo dividia as responsabilidades com Zico. Os dois tinham uma grande amizade ao ponto do pai do Galinho chamar de Geraldo filho, a dupla cresceu junta nas divisões de base do clube rubro-negro e formavam o meio-campo mais promissor da época. Em 1974, o Flamengo entrou no campeonato carioca recheado de jovens, por isso não era apontado como um dos favoritos ao título.

Mas graças ao futebol de Geraldo e companhia o time rubro-negro que era comandado pelo técnico Joubert foi campeão diante do Vasco sob os olhares de 165 mil pessoas no Maracanã. 

As grandes exibições no Maracanã lhe renderam uma vaga na Seleção Brasileira. Em um time que tinha Zico, Júnior, Jayme entre outros, Geraldo foi o único jogador do Flamengo convocado para a Copa do América de 1975 e era considerado uma das maiores promessas para a Copa de 78, na Argentina.

O futebol estava no DNA do meia, de nove filhos de Dona Nilza (mãe de Geraldo) cinco se tornaram jogadores, mas Geraldo era o mais talentoso deles. A família seguiu servindo ao futebol e hoje é representada por Bruno Alves, zagueiro do Cagliari e da Seleção Portuguesa. Bruno é filho do ex-zagueiro Washington (irmão de Geraldo).

Depois da tragédia, Geraldo foi homenageado no Maracanã num amistoso entre Flamengo e a Seleção Brasileira, o duelo que ficou marcado pelo encontro de Zico e Pelé em lados opostos. Outros jogadores como Rivellino, Adílio, Paulo Cesar Caju, Carlos Alberto Torres entre outros grandes nomes disputaram a partida. Na ocasião, o Rubro-Negro venceu por 2 a 0 e toda a renda foi doada à família de Geraldo.

Alguns dizem que Geraldo poderia ter mostrado ao mundo tanto ou até mais do que Zico mostrou, mas infelizmente sobre isso ninguém nunca saberá, ele morreu antes que sua genialidade fosse mostrada ao mundo. Fica na memória os bons momentos proporcionados por aquele menino habilidoso, polêmico e irreverente que exibia o seu talento nas tardes de domingo no Maracanã.



Por: José Orlandoatlanticanews
31/10/2018 - 22:50:35

Em Eunápolis, situado no extremo sul da Bahia, desde 1980, surgiram vários times de futebol amador e que muitas saudades nos deixaram. 

Dentre eles, os mais importantes e que fizeram história no amadorismo Eunapolitano, foram: Clube Regatas Flamengo dos saudosos João preto e Dr. Tércio; Brasil do saudoso Valdomiro; Malacarne de seu Ailton; Ypiranga de seu Apolinário; Modelo de Arildo Maia; James Wright do saudoso Jairo Pereira; Urbis; Supermercado Pague Menos; dentre outros. 

Apresentamos aqui, o time do Flamenguinho capitaneado pelo saudoso desportista Dr. Tércio Pereira, jogadores que fizeram nome na no campeonato amador de Eunápolis.  

EM PÉ - MILTON CÉSAR, PORROLA, ITAMAR (GOLEIRO), AGUINELO, NAL E ANTHERO.

AGACHADOS – ERALDO, GILMAR, ARTUR NUNES, FABRICIO BIZERRÃO, E PEDRO.



PUBLICIDADE


Por: Uol esporte
11/10/2018 - 00:50:15

Nascido na Argentina, mas naturalizado italiano, o centroavante passou por times de expressão, como Porto, Juventus, Roma e Inter de Milão, e disputou 14 partidas pela seleção azzurra. Em 2016, depois de voltar para a Argentina e ... - Veja mais em https://blogdorafaelreis.blogosfera.uol.com.br/2018/03/18/6-jogadores-que-deixaram-o-futebol-cedo-porque-cansaram-da-vida-de-atleta/?cmpid=copiaecola