Por: Redação Atlântica News
11/10/2018 - 21:48:27

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, reiterou que não tem controle sobre as pessoas que o apoiam e disse que é "a prova viva" da intolerância. Apesar de pedir, nesta quarta-feira (10), para que seus apoiadores e simpatizantes não pratiquem atos de violência e agressão, ele não falou sobre punição cabível para o eleitor que assassinou com 12 facadas o capoeirista Moa do Katendê, em Salvador, por divergências políticas.

“Esta pergunta não deveria ser invertida? Quem levou a facada foi eu. Um cara lá, que tem uma camisa minha, comete um excesso, o que eu tenho a ver com isso? Eu lamento. Peço ao pessoal que não pratique isso, mas eu não tenho controle sobre milhões de pessoas que me apoiam. Agora, a violência vem do outro lado, e eu sou uma prova viva disso”, disse o candidato.

Bolsonaro negou que há um clima bélico na campanha, acirrando ânimos e provocando episódios de violência. “Não está tão bélico assim, está um clima acirrado, de disputa, mas são casos isolados, que a gente lamenta e espera que não ocorram”.

Em Porto Alegre, dois dias após o ocorrido com Moa, uma jovem de 19 anos que usava uma camiseta do movimento #elenão teve as costas marcadas a canivete por homens que a teriam agredido e desenhado uma suástica (símbolo nazista).

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, disse nesta quarta que há uma escalada de violência que predomina em torno das divergências políticas que deve ser combatida por todas as forças políticas.


Enquete

Você já fez algo para ajudar a rua em que mora?




VOTAR PARCIAL